quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

O que é a Bambuterapia?


A bambuterapia é uma técnica de masagem de origem francesa que utiliza bambus de diversos tamanhos, como uma espécie de prolongamento dos dedos. É muito procurada para relaxamento, redução de celulite e combate à flacidez.

A bambuterapia é considerada mais eficiente do que outras alternativas como a drenagem linfática manual, para a eliminação do tecido adiposo, drenagem de líquidos e modelação do corpo.


A bambuterapia ajuda a relaxar e a revitalizar o corpo.  Além de atuar no sentido da diminuição da flacidez, da celulite e da gordura localizada, a bambuterapia ajuda a melhorar a postura e a pele fica mais flexível.
 
Outros benefícios associados à técnica são: a melhoria da oxigenação e da nutrição da pele, a capacidade de vasodilatação, a desintoxicação, a renovação celular e a tonificação muscular, aumentando o efeito redutor e drenante desta terapia.

Aliada a uma boa alimentação, nutrição adequada e exercício físico, a bambuterapia é a terapia ideal para quem procura uma eliminação de líquidos e de gordura localizada.
 
As sessões de bambuterapia duram em média 30 minutos e são direcionadas para zonas específicas do corpo ( abdómen, pernas ou braços). São recomedadas um número mínimo de 6 sessões para ter resultados mais duradoiros, mas no fim da primeira sessão já nota diferenças.

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Dharma ou Karma a escolha constante



"The nuns taught us there were two ways through life - the way of nature and the way of grace. You have to choose which one you'll follow.
Grace doesn't try to please itself. Accepts being mistreated, forgotten, disliked. Accepts insults and injuries.
Nature only wants to please itself. Get others to please it too. Likes to lord it over them. To have its own way. It finds reasons to be unhappy when all the world is shining around it. And love is smiling through all things. 
The nuns taught us that no one who loves the way of grace ever comes to a bad end.
I will be true to you. Whatever comes."
Tree of Life, Terrence Malick

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Who Are You Really - Quem É Você, realmente?


Tradução:
Qualquer pensamento que você teve sobre si mesmo, por mais desinflamado ou inflamado, não é quem você É. É simplesmente um Pensamento. A verdade de quem você É, não pode ser pensada, porque ela é a Fonte de todos os Pensamentos. 
A verdade de quem você É, não pode ser nomeada ou definida. Palavras como Alma, Luz, Deus, Verdade, “Self”, Consciência, Inteligência universal ou Divindade, mesmo que capazes de evocar o êxtase da verdade, são totalmente inadequadas como descrição da imensidade de quem você realmente É. 
Independente de como você se identifica: como criança, adolescente, uma mãe, um pai, uma pessoa mais velha, uma pessoa saudável, uma pessoa doente, uma pessoa que sofre ou uma pessoa iluminada, sempre, por trás de tudo isso, está a verdade de você mesmo. Ela não é estranha para você. Ela está tão próxima, que você não consegue acreditar que é você. A verdade de quem você É, é intocada por qualquer conceito sobre quem você é, seja ignorante ou iluminado, sem valor ou grandioso. A verdade de quem você É, é livre de tudo isso. Você já é Livre, e tudo o que bloqueia a sua realização desta liberdade é o seu apego a alguma ideia sobre quem você É. Este pensamento não impede que você seja a verdade de quem você é. Você já é isso. Ele apenas separa você da realização de quem você é. Convido você a deixar sua atenção mergulhar naquilo que sempre esteve aqui, esperando abertamente por sua própria auto-realização. 

Quem é você, realmente? Você é alguma imagem que aparece na sua mente? Você é alguma sensação que aparece no seu corpo? Você é alguma emoção que passa pela sua mente e corpo? Você é algo que alguém disse que você é, ou é um rebelde contra algo que alguém disse que você é? Estas são algumas das muitas vias de erros de identificação. Todas essas definições vêm e vão, nascem e depois morrem. A verdade de quem você é, não vem e vai. Ela está presente antes do nascimento, durante toda uma vida, e após a morte. 
Descobrir a verdade sobre quem você é, não é apenas possível, é o seu direito de nascença. Qualquer pensamento que esta descoberta não seja para você, agora não é o tempo, você não é digno, você não está pronto, você já sabe quem é, são apenas truques da mente. Está na hora de investigar este pensamento sobre o “EU”, e ver qual é a sua validade real. Nesta investigação existe uma abertura para que a consciência inteligente que você é, finalmente se reconheça a si mesma. 

A pergunta mais importante que você jamais pode perguntar-se é: Quem sou eu? 
 De certa forma, esta tem sido uma questão implícita, perguntada em cada etapa de sua vida. Toda atividade, seja individual ou coletiva, é motivada na sua raiz por uma busca de auto-definição. Tipicamente, você busca por uma resposta positiva a esta pergunta e foge de uma resposta negativa. Quando esta questão se torna explícita, o impulso e o poder da pergunta direcionam a busca pela verdadeira resposta, que é aberta, viva e cheia de insights cada vez mais profundos. Você experimentou tanto o sucesso como o fracasso. Após um certo estágio, cedo ou tarde, você percebe que quem você é, independente da definição, não é satisfatório. Se esta questão não for verdadeiramente respondida, não apenas convencionalmente respondida, você vai continuar com fome de saber. Porque, independente de como você tenha sido definido por outros, bem intencionados ou não, e independente de como você tenha definido a si mesmo, nenhuma definição pode trazer certeza duradoura. 
O momento em que  reconhece que nenhuma resposta jamais satisfez esta pergunta é crucial. Ele é muitas vezes referido como o momento de amadurecimento espiritual, o momento de maturidade espiritual. A partir deste ponto você pode conscientemente investigar quem você realmente é. Em seu poder e simplicidade a questão “Quem sou eu?” lança a mente de volta para a raiz da identificação pessoal, a suposição básica: “eu sou alguém”. Ao invés de automaticamente aceitar essa suposição como a verdade, você pode investigar mais profundamente. Não é difícil ver que este pensamento inicial, “eu sou alguém”, leva a todos tipos de estratégias: ser alguém melhor, alguém mais protegido, alguém com mais prazer, mais conforto e mais realização. Mas, quando este pensamento muito básico é questionado, a mente encontra o eu, que se assume estar separado daquilo que ela vinha procurando. Isso é chamado de auto-investigação.  

A pergunta mais básica: “Quem sou eu?”, é aquela que é a mais negligenciada.  
Passamos a maior parte de nossos dias dizendo a nós mesmos ou aos outros que somos alguém importante, alguém sem importância, alguém grande, alguém pequeno, alguém jovem ou alguém velho, sem nunca realmente questionar esta suposição mais básica. Quem é você, realmente? Como sabe que isto é quem você é? Isso é verdade? Realmente? Quando você voltar a sua atenção para a questão: “Quem sou eu?”, talvez você veja uma entidade que tem seu rosto e seu corpo.  

Mas quem está ciente desta entidade? Você é o objeto, ou você é a percepção do objeto? 
O objeto vem e vai. O pai, a criança, o amante, o abandonado, o iluminado, o vitorioso, o derrotado. Todas essas identificações vêm e vão. A percepção dessas identificações está sempre presente. A identificação errada de si mesmo como algum objeto dentro da percepção leva a extremo prazer ou extrema dor e ciclos intermináveis de sofrimento. Quando você está disposto a parar a identificação errada e descobrir direta e completamente que você é, a própria percepção e não estas definições impermanentes, a busca por você mesmo nos pensamentos termina. Quando a pergunta “Quem?” é perseguida de forma inocente, pura, por todo o caminho de volta à sua origem, surge uma enorme e espantosa realização: Não há absolutamente nenhuma entidade ali! Há apenas o indefinível e ilimitado reconhecimento de si mesmo como inseparável de qualquer outra coisa. Você está livre. Você está completo. Você é infinito. Não há nenhum fundo em você, nenhum limite em você. Qualquer ideia sobre você aparece em você e desaparecerá de volta em você.  

Você é percepção, e percepção é consciência. Deixe todas as auto-definições morrer neste momento. Deixe todas ir, e veja o que resta. Veja o que nunca nasce e o que não morre. Sinta o alívio de se desfazer da carga de definir a si mesmo. Experiencie a efetiva não-realidade da carga. Experiencie a alegria que está aqui. Descanse na paz infinita de sua verdadeira natureza antes que qualquer pensamento de “eu” surja.

Gangaji

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Ame-se e aceite-se a si própria neste momento


Você está a meio do processo de se tornar o seu melhor amigo - a pessoa cuja companhia mais prazer lhe dá.

A maioria das pessoas não vai amar-se a si própria enquanto não perder peso, ou enquanto não arranjar um novo emprego, um (a) namorado (a), ou seja o que for. Com essa desculpa, conseguimos estar sempre a adiar o amor por nós próprios. Mas o que  é que se passa quado finalmente conseguimos o tal novo emprego, ou o namorado ou quando conseguimos perder peso, e mesmo assim não conseguimos sentir amor por nós próprios?
Tratamos logo de arranjar uma nova desculpa, uma lista de exigências e, desta forma, conseguimos mais um novo período de impedimento. 
A única altura certa para uma pessoa começar a amar-se a si própria é Aqui e Agora. O amor incondicional é o amor sem expectativas. Aceitar aquilo que É. Com toda a Luz e Sombra e deixar que um dia à luz da consciência essa sombra se dissipe para que possa comtemplar toda a Luz e Beleza que tem dentro de Si.

Adaptado: Pensamentos do Coração, Louise Hay

terça-feira, 30 de junho de 2015

O bom exemplo constitui o melhor e mais eficaz sistema de educar os filhos.






Pequeno, porém poderoso, texto de Ronald Russel para reflexão sobre a nossa relação com os nossos pais, a educação das crianças e o descobrir de que na grande maioria somos SOBREVIVENTES.

“A criança que vive com o ridículo aprende a ser tímida. 

A criança que vive com crítica aprende a condenar.

A criança que vive com suspeita aprende a ser falsa.

A criança que vive com antagonismo aprende a ser hostil.

A criança que vive com afeição aprende a amar.

A criança que vive com estímulo aprende a confiar.

A criança que vive com a verdade aprende a ser justa.

A criança que vive com o elogio aprende a dar valor.

A criança que vive com generosidade aprende a repartir.

A criança que vive com o saber aprende a conhecer.

A criança que vive com paciência aprende a tolerância.

A criança que vive com felicidade conhecerá o amor e a beleza.”


O sobrevivente viveu com o ridículo e tornou-se um propagador da vida, do belo, da esperança!
O sobrevivente viveu com a crítica e aprendeu a ensinar, delegar, confiar!
O sobrevivente viveu a suspeita e aprendeu a discernir, a ética, a moral!
O sobrevivente viveu o antagonismo e aprendeu a por tudo que está de pernas para o ar no seu lugar! Um lugar de fé e esperança!


E mesmo que tenha faltado empatia, afecto, estímulo, verdade, elogio, confiança,
generosidade, paciência e paz; o sobrevivente RECONHECEU, desde cedo, estas FALTAS e construiu-as com FIOS DOURADOS no seu CORAÇÂO, acreditando que poderia fazer a diferença para construir um Mundo melhor.

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Ame-se e realize o seu pleno potencial


Todos nós passamos por períodos na vida onde imaginamos como alcançaremos o propósito de nossa vida, ou se temos um propósito. Pode parecer que falta alguma coisa nas nossas vidas e não sabemos como preencher esse vazio.

Alguns podem recorrer às drogas, a relacionamentos doentios, ou outros comportamentos auto-destrutivos numa tentativa de dar sentido às nossas vidas. Talvez acreditemos que não temos o direito de pedir mais ou parece que não há nada mais do que o que podemos ver a nossa frente. Mas cada um de nós merece o melhor que a vida tem a oferecer.

Mudar a sua mente é o primeiro passo para manifestar o melhor na sua vida.

Lembre-se de que a felicidade não é algo que possa ser encontrado "lá fora".
Ela pode somente vir de dentro, através do amor próprio e da aceitação. Aprenda a se amar e a confiar na Inteligência Divina dentro de você. O Universo lhe trará o que você precisa se simplesmente o permitir.

Espero que este artigo o inspire a ver o propósito maior da sua própria vida e o motive a realizar o seu pleno potencial. 


DEZ PASSOS PARA SE AMAR
Por Louise Hay


1 - Parem com toda a crítica - A crítica nunca muda nada.

Recusem-se a criticar. Aceitem-se exatamente como  são. Todos mudam. Quando  se criticam, as suas mudanças são negativas. Quando se aprovam, as suas mudanças são positivas.


2 - Não se atormentem - Parem de se aterrorizar com os seus pensamentos.

Encontrem uma imagem mental que lhes dê prazer e imediatamente desviem os seus pensamentos para algo agradável.


3 - Sejam gentis, bondosos e pacientes - Tratem-se com paciência, gentileza e bondade.

Tratem-se como fariam com alguém a quem amassem.


4 - Sejam gentis com a vossa mente - Odiar-se é somente odiar os próprios pensamentos.

Mudem gentilmente os seus pensamentos para pensamentos mais amorosos.


5 - Elogiem-se - A autocrítica deprime o espírito interior.

A exaltação edifica-o. Afirmem a vocês mesmos como é apropriado o que estão a fazer com tudo.


6 - Apoiem-se - Aproximem-se dos amigos e permitam que eles os ajudem.

Ser forte é pedir ajuda quando mais precisam.


7 - Sejam amorosos com os seus pontos negativos - Reconheçam que os criaram para satisfazer uma necessidade.

Agora estão a encontrar novas maneiras positivas de preencherem estas necessidades. Libertem os velhos padrões.


8 - Cuidem do seu corpo - Aprendam sobre nutrição.

O que o seu corpo necessita para ter a energia e a vitalidade ideal? Aprendam sobre exercícios, sobre nutrição, sobre meditação. Estimem o templo em que vocês vivem.


9 - Trabalho do Espelho - Olhem dentro dos seus olhos frequentemente.

Expressem o sentido crescente do amor que sentem por vocês mesmos. Perdoem-se por tudo, enquanto se olham no espelho. Uma vez ao dia digam, "Eu me amo" para vocês mesmos no espelho.


10- Façam-no Agora - Não esperem até ficarem  bem, percam peso ou recebam um novo emprego.

Comecem agora, façam o melhor que puderem.


Fonte: Extraído do Livro "Criando uma Abordagem Positiva" por Louise Hay 
http://sementesdasestrelas.blogspot.pt/2014/08/louise-hay-dez-passos-para-se-amar-voce.html

quarta-feira, 17 de junho de 2015

O écran que hipnotisa


“Para um número significativo de pessoas, ver televisão é algo “relaxante”. Observe-se e verá que, quanto mais tempo a sua atenção estiver focada na televisão, mais a sua atividade intelectual se mantém suspensa.
Por longos períodos estará a assistir a programas de entrevistas, jogos, shows de variedades, quadros de humor e até mesmo a anúncios sem que quase nenhum pensamento seja gerado pela sua mente.
Não só deixa de se lembrar dos seus problemas como se torna livre de si mesmo por um tempo – e o que poderia ser mais relaxante do que isso? 

Então ver televisão cria o espaço interior? Será que isso nos faz entrar no estado de presença?
 
Infelizmente, não é o que acontece. Embora a mente possa ficar sem produzir nenhum pensamento por algum tempo, ela permanece ligada à atividade do pensamento do programa que está a ser traasmitido. Mantém-se associada à versão televisiva da mente coletiva e segue absorvendo os seus pensamentos. A sua inatividade é apenas no sentido de que ela não está a gerar pensamentos. No entanto, continua a assimilar os pensamentos e as imagens que chegam ao pequeno ecran. Isso induz um estado passivo semelhante ao transe, que aumenta a suscetibilidade, e não é diferente da hipnose.

É por isso que a televisão se presta à manipulação da “opinião pública”, como é do conhecimento de políticos, de grupos que defendem interesses específicos e de anunciantes – eles gastam fortunas para nos prender no estado de inconsciência receptiva. Querem que os seus pensamentos se tornem nos nossos pensamentos e, em geral, conseguem.
Portanto, quando estamos a ver televisão, a nossa tendência é cair abaixo do nível do pensamento, e não nos posicionarmos acima dele. A TV tem isso em comum com o álcool e com determinadas drogas. Embora ela nos proporcione um pouco de alívio em relação à mente, mais uma vez pagamos um preço alto: a perda da consciência. Assim como as drogas, essa distração tem uma grande capacidade de viciar.
Procuramos o controle remoto para mudar de canal e, em vez disso, vemo-nos a percorrer todos os canais em loop.
Meia hora ou uma hora mais tarde, ainda estamos ali, passeando pelos canais. O botão de desligar é o único que nosso dedo parece incapaz de apertar. Continuamos a olhar para o ecran. Porém, não porque algo significativo tenha chamado a nossa atenção, e sim porque não há nada interessante a ser transmitido. Depois de sermos apanhados, quanto mais trivial e mais sem sentido é o programa, mais intenso se torna nosso vício. Se isso fosse estimulante para o pensamento, motivaria a nossa mente a pensar por si mesma de novo, o que é algo mais consciente e, portanto, preferível a um transe induzido pela televisão. Dessa maneira, a nossa atenção deixaria de ser prisioneira das imagens da TV
.
O conteúdo da programação, caso apresente alguma qualidade, pode até certo ponto neutralizar, e algumas vezes até mesmo desfazer, o efeito hipnótico e entorpecedor da TV. Existem determinados programas que são de uma utilidade extrema para muitas pessoas – mudam a sua vida para melhor, abrem o seu coração, fazem com que se tornem mais conscientes.

Há também algumas atrações humorísticas que acabam por ser espirituais, mesmo que não tenham essa intenção, por mostrarem uma versão caricata da insensatez humana e do ego.
Elas ensinam-nos a não levar nada muito a sério, a permitir um pouco mais de descontração e leveza na nossa vida. E, acima de tudo, ensinam-nos isso enquanto nos fazem rir. O riso tem uma extraordinária capacidade de libertar e curar. Contudo, a maior parte do que é exibido na televisão ainda está nas mãos de pessoas que são totalmente dominadas pelo ego.

Assim, a intenção oculta da TV é de nos controlar deixando-nos num modo sonolento, isto é, deixando-nos inconscientes. Evite assistir a programas e anúncios que o agridam com uma rápida sucessão de imagens que mudam a cada dois ou três segundos ou menos. O hábito de assistir à televisão em excesso e esses programas em particular são duas causas importantes do transtorno de défice de atenção, um distúrbio mental que vem a afetar milhões de crianças em todo o mundo.
A atenção deficiente, de curta duração, torna todos os nossos relacionamentos e percepções superficiais e insatisfatórios. Qualquer coisa que façamos nesse estado, qualquer ação que executemos, carece de qualidade, pois a qualidade requer atenção.
O hábito de ver televisão com frequência e por longos períodos não só nos deixa inconscientes como induz a passividade e drena a nossa energia. Portanto, em vez de assistir à TV ao acaso, escolha os programas que despertam o seu interesse. Enquanto estiver diante dela, procure sentir a vívida atividade dentro do seu corpo – faça isso sempre  que se lembrar. De vez em quando, tome consciência da sua respiração.
Desvie os olhos da TV em intervalos regulares, pois isso evitará que ela monopolize completamente o seu sentido da visão. Não ajuste o volume acima do necessário para que a televisão não o domine também a nível auditivo.
Tire o som durante os intervalos. Procure não dormir logo após desligar o aparelho ou, ainda pior, adormecer com ele ligado.”

Por Eckhart Tolle
O Despertar de Uma Nova Consciência

quarta-feira, 20 de maio de 2015

A importância de se estar bem só



Primeiro fique sozinho.
Primeiro comece a se divertir sozinho.
Primeiro amar a si mesmo.
Primeiro ser tão autenticamente feliz, que se ninguém vem, não importa; você está cheio, transbordando.
Se ninguém bate à sua porta, está tudo bem -
Você não está em falta.
Você não está esperando por alguém para vir e bater à porta.
Você está em casa.
Se alguém vier, bom, belo.
Se ninguém vier, também é bom e belo
Em seguida, você pode passar para um relacionamento.
Agora você se move como um mestre, não como um mendigo.
Agora você se move como um imperador, não como um mendigo.
E a pessoa que viveu em sua solidão será sempre atraídos para outra pessoa que também está vivendo sua solidão lindamente, porque o mesmo atrai o mesmo.
Quando dois mestres se encontram - mestres do seu ser, de sua solidão -felicidade não é apenas acrescentada: é multiplicada.
Torna-se uma tremendo fenômeno de celebração.
E eles não exploram um ao outro,, eles compartilham.
Eles não utilizam o outro.
Em vez disso, pelo contrário,
ambos tornam-se UM e
desfrutam da existência que os
rodeia.

Osho

terça-feira, 5 de maio de 2015

Característica que o Reiki desenvolve nos seus praticantes



1. Percepção energética
Quando nos tornamos um canal de Reiki, passamos por diversas limpezas e isso faz com  que nossa percepção energética tanto da nossa energia, como das  pessoas e do ambiente se tornem mais perceptíveis. 
Cada iniciação faz com que entremos em níveis de percepção diferentes.

2. Ação compassiva
A fábrica do Reiki é o coração, o chakra que mais se desenvolve após a pratica de Reiki é o cardíaco, porque é o chakra do amor e da compaixão, toda energia de cura é energia de amor.
O bom canal de Reiki é aquela pessoa que é amorosa, que se ama a si mesma e ao próximo.

3. Hábitos Saudáveis
Tendemos a mudar de hábitos após uma iniciação de Reiki, afastamo-nos de coisas que podem fazer mal à nossa vida e adquirimos novos hábitos mais saudáveis  e que levam a um estado de bem estar constante.

4. Desenvolvimento Psíquico
Com o aumento da percepção energética e os nossos chakras purificados e desenvolvidos, a nossa clarividência, clariaudiência e capacidades psíquicas são desenvolvidas no decorrer das prática de Reiki

5. Sistema imunológico forte
O Reiki fortalece o sistema imunológico, deixando-nos mais resistente a doenças virais, o Reiki proporciona diversos benefícios, vale a pena conferir aprenda mais sobre Reiki.

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Pranayama - Acalme a mente



Os pranayamas, como são chamadas as técnicas de respiração no yoga, são exercícios elaborados há centenas de anos que tentam equilibrar os dois lados do corpo de acordo com a quantidade ou intenção do prana que ali passa. São tão importantes que fazem parte de qualquer aula de hatha yoga.

Diversos movimentos foram estudados pelos grandes mestres yoguis da Índia e todos eles apresentaram uma diferença enorme na energia de cada Ser quando os hemisférios direito e esquerdo estão harmonizados.

O nosso lado direito do corpo é regido pelo Sol. Representa o Sagrado Masculino, energia mais construtiva. Carrega energias expansivas e combativas, além de trabalhar o Yang, energia masculina ligada à força, ao ímpeto e ao pensamento lógico e racional. Está associada aos movimentos de expansão. É assertivo, espirituoso nas lutas, preciso, claro, capaz de tomar iniciativas e de conquistar.
Já o nosso lado esquerdo é regido pela Lua. Representa o Sagrado Feminino, é mais calmo e coerente. Traz as energias mais sutis e leves. Adapta-se facilmente a mudanças, prestigia a amizade, é otimista e não julga. Além disso, o lado esquerdo é o nosso Yin, energia feminina, ligada à suavidade, à sensibilidade e à intuição.

No yoga, as técnicas de pranayama são usadas ​​para controlar o movimento das energias vitais – prana – dentro do corpo e alinhar lados direito e esquerdo. O controle do prana através dos pranayamas intensificam as ações dos órgãos dentro do corpo, fazendo com que eles funcionem mais fluidamente. Mas não é apenas isso que muda na pessoa. Nota-se também uma calma maior e hesitação menor. Mais concentração e disposição também são sintomas apontados.

Experimente o pranayama da respiração alternada. Este exercício produz otimização de ambos os lados do cérebro: que são criatividade (esquerdo) e pensamento lógico (direito). Os yoguis consideram esta a melhor técnica para acalmar a mente e o sistema nervoso; estabelece um equilíbrio entre os hemisférios direito e esquerdo do cérebro, produzindo uma maravilhosa sensação de serenidade. Remove tensão, medo e preocupação e torna a mente calma e serena. Através da prática deste pranayama, felicidade, saúde, vigor e voz melodiosa podem ser conseguidos. Você vai se sentir muito leve e lúcido.
Vamos tentar?

Sente-se numa posição confortável, na qual estará tranquilo pelos próximos 10 minutos. Inspire e expire profundamente por umas cinco vezes. 
Repouse sua mão esquerda sobre a perna, com a palma da mão virada para cima e unindo indicador e polegar. Esta união de dedos (mudra) ajuda a canalizar a energia e não deixa que ela escape do seu corpo.
Coloque o indicador e dedo médio no centro da testa, usando o polegar e dedo anelar para obstruir as vias nasais, esquerda e direita.
Tape a narina direita e inspire pela narina esquerda.
Logo após, tape a narina esquerda e expire pela direita.
Inspire pela direita e continue o processo completo, alternando as inspirações e expirações em cada narina.
Após uns 10 minutos de prática, volte à sua respiração normal e sinta-se mais leve, sereno, calmo e preparado.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

As emoções escondidas pela bursite



A bursite é uma inflamação ou inchaço da bursa duma articulação, por exemplo no ombro, cotovelo ou joelho.

A bursa contém líquido sinovial, que envolve e nutre as articulções. Esta pequena "bolsa" reduz o atrito entre ossos, tendões e tecido conjuntivo, proporcionando um movimento fluido e gracioso das articulações, funcionando quase como um pequeno amortecedor.


No dicionário emocional, a bursite indica uma frustração ou intensa irritação, a raiva contida diante de uma situação ou de alguém qe temos vontade de "dar um soco", no caso do braço (ombro ou cotovelo), ou dar um "chuto" no caso da perna (joelho ou tendão de Aquiles). 
Indica que estamos cansados ​​de viver com essa situação e, em vez de expressarmos o que sentimos, inibimos as emoções somatizando-as. Podemos encontrar a causa do desejo de "dar um soco ou chuto"  ou  ficar a pensar o que podemos fazer ou não fazer com aquele braço ou perna dolorosa. 
Se dói o lado esquerdo, há uma conexão com o lado emocional. Se dói o lado direito são as responsabilidades e o "racional" (por exemplo, trabalho).
 

A bursite está geralmente ligada ao que vivemos em relação ao trabalho. O corpo apenas adverte para a necessidade de adoptar uma atitude mais positiva a novas situações que surgem.

Informações de: dicionário emocional Jacques Martel
adaptado de: http://blogdepiesymanos.com/

segunda-feira, 23 de março de 2015

Amor próprio: a chave para a felicidade



Assim como precisamos de dar amor, para receber amor, a nossa felicidade começa dentro de nós - e amor próprio é o melhor lugar para começar. Afinal, se você não se amar a si mesma, então nada do que fizer lhe vai trazer muito prazer.

Aqui estão algumas idéias sobre amar a si mesma incondicionalmente para que o seu amor e felicidade transbordem para fora de si como uma fonte de alegria.

1. Comprometa-se a cuidar de si a cada dia. Isso significa exercício, comer saudável e praticar uma boa higiene. Deixar-se estagnar, em qualquer uma dessas coisas, não é muito amoroso. Você não trataria alguém que você ama, alimentando-a com lixo, deixando de lavá-la ou nunca deixá-la correr e brincar!

2. Expresse gratidão - para si mesma! Agradeça ao seu corpo. Ao seu cérebro. Os seus talentos. A sua vontade de trabalhar duro. As suas realizações. Os momentos em que  é extra atenciosa. A sua compaixão. Sempre que fizer algo que você iria elogiar ou agradecer a alguém, agradeça e elogie a si mesma também. "Bom trabalho!"

3. Faça uma lista de coisas que a fazem feliz. Escolha pelo menos UMA para a prática diária. Jardinagem? Ouvir música? Correr? Dança? Jogar? Passear com o cão? Frisbee? Yoga? Fotografia? Leitura? Um episódio de "Game of Thrones"? Dê a si mesma o tempo de fazer algo que a faz sentir-se bem, todos os dias. Não o dia todo, não à custa das suas responsabilidades, mas tire algum tempo para recarregar as baterias e mostrar a si mesma que se importa consigo.

4. Aproveite o tempo para escrever algumas realizações do ano passado. "Nada para escrever?" Pense mais. Talvez não tenha  considerado algumas das suas realizações! Será que você, por exemplo, consegue se manter acima da água financeiramente? Realização. Congratule-se. Muitas, muitas pessoas não conseguem fazer isso. Você alcançou algum objetivo físico? Pense em todas as coisas do dia que você faz bem - dica: são as coisas que você faz bem e considera muito fáceis e chatas. Nem todos podem fazer o que você faz, e sem esforço!

5. Limpe a desordem. Isto é muuuuito terapêutico! Limpar o seu armário e a sua casa é o primeiro passo para limpar sua mente de toda a negatividade que é apresentada lá. Deixe de lado coisas que você não usa e / ou que não lhe trazem alegria. Se você não usa ou não a faz feliz olhar para ele, por que ainda o tem?

6. Pare de se comparar aos outros. Em vez disso, compare-se com o você do ano passado ou a partir de uma década atrás. O que aprendeu? O que tem feito? Como está mais sábia? De novo - procure fundo se nada vem à mente neste exato momento.

7. Faça mais do que você é boa e o que você ama. A auto-estima e amor próprio são companheiros. Para se amar a si mesma, precisa apreciar o que faz bem. Construa o seu conjunto de habilidades, expanda seus conhecimentos e mantenha a alegria a fluir! Quando faz o que ama, você é dinâmica, entusiástica, e tão cheia de paixão que você atrai e inspira outras pessoas - o que é um belo impulso! Fazendo o que você ama alimenta o fogo interior que torna a vida tão suculenta e então vale a pena viver!

8. Desapegue-se. Dor temporária, como a de abrir mão de um relacionamento destrutivo, é apenas isso - temporário. E  melhor para do que ficar num relacionamento que faz- se sentir mal sobre si mesma.

9. Conte uma história melhor. O que diz quando fala sobre si mesma? Fala sobre si mesma como fala do seu melhor amigo? Se não, pare com isso. Comece a falar gentilmente, com respeito e com amor sobre si mesma.

10. Todos os dias, passe dois minutos, a sorrir para si mesma ao espelho. Comece o dia assim. Demonstre-se que está feliz em ver e ser você. Um sorriso realmente engana o seu cérebro de que "está tudo bem" - mesmo que esteja num humor terrível, isso funciona. Dentro de 2 minutos vai-se sentir mais feliz.

Adaptado de: www.scheilagrade.com

terça-feira, 17 de março de 2015

Reiki



Como o Mestre Mikao Usui definia o Reiki:

"O Reiki é uma técnica de cura espiritual e cura energética. A cura espiritual proporciona o relembrar da consciência universal enquanto a cura energética remove os sintomas da mente que causam desordens a nível físico.
Quando as doenças físicas se manifestam, elas são acompanhadas de importantes mensagens para o desenvolvimento ou despertar espiritual da pessoa que as contrai. A cura energética, por si só, pode resolver desordens mentais que causam problemas a nível físico, contudo, a verdadeira cura não acontecerá a menos que se entenda a mensagem espiritual acoplada à desordem mental.
O Reiki traz harmonia ao lado energético, curando verdadeiramente a mente e o corpo, e proporcionando também mudanças ao nível da consciência."


Algumas indicações terapêuticas e benefícios do Reiki:

-Promove a saúde e o bem estar
-Promove relaxamento profundo
-Melhora a qualidade do sono
-Elimina bloqueios energéticos
-Promove equilibrio emocional
-Promove o aumento da frequência vibratória
-Promove a eliminação de stress
-Diminui o processamento mental excessivo
-Auxilia em estados de depressão
-Elimina a ansiedade
-Equilibra o ritmo cardíaco e a pressão arterial
-Melhora o funcionamento do sistema imunitário
-Alivia dores (incluindo as crónicas) e tensão muscular
-Refina os sentidos e a intuição
-Traz mais serenidade, calma e confiança para o dia a dia
-Auxilia na criação de soluções para os desafios diários

-Actua como complementar a práticas terapêuticas mais -agressivas, tais como quimioterapia ou radioterapia
-Redução de efeitos secundários provenientes de tratamentos de quimoterapia e radioterapia.
-Auxilia na preparação pré-cirúrgica e recuperação pós- cirúrgica

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Teve um acidente de automóvel? Procure um osteopata


As lesões de chicote sofridas a partir de um acidente automóvel podem surgir imediatamente ou pode levar algum tempo até se manisfestarem.  
Já tratei alguns pacientes com dor crônica no pescoço anos depois da sua lesão por chicotada no pescoço não tratada. Normalmente o paciente diz algo como: "Eu tive um acidente de carro há 2 anos. Na altura senti-me bem, então não tive quaisquer tratamentos para o meu pescoço. "

Os sintomas mais frequentes deste tipo de lesão são: 
  • Dor de pescoço
  • Dor de cabeça
  • Dor de ombros
  • Dor no fundo das costas
  • Dificuldade em engolir
  • Visão turva
  • Zumbido nos ouvidos
  • Naúseas
  • Fadiga
  • Irritabilidade
  • Tonturas
  • Vertigo ( sensação de rotação)

 É importante procurar tratamento para lesões provocadas por um acidente de automóvel, o mais rapidamente possível. Um osteopata pode tratar vários tipos de dor associada a colisões. Os tratamentos podem incluir fisioterapia, electroterapia, reabilitação muscular e técnicas de manipulação.

Da próxima vez que vir alguém a esfregar um pescoço dolorido, pense nos tecidos sob a pele. Há o cérebro, músculos, ligamentos, tendões, fáscias e cápsulas articulares só para citar alguns. Cada uma dessas estruturas pode ser ferida num acidente de automóvel. Eles precisam de ser tratados também. Só porque o hospital disse que você estava bem após o seu acidente, isso não significa que não houve danos. "Alta" no dicionário hospitalar significa, "você não vai sangrar até a morte nos próximos 10 minutos."




Pense no tecido cicatricial como uma teia de aranha, com cabos de seda estendendo a mão e a anexar os seus tecidos moles (músculos, ligamentos, tendões, fáscias e cápsulas articulares). Ao contrário de uma teia de aranha regular, onde os filamentos de seda podem esticar, o tecido cicatricial não estica. Na verdade, é contrátil-encolhe! O que acontece se o tecido cicatricial dos seus nervos começar a encolher? Ele vai contrair e dar um puxão no nervo. O resultado: sensações de dor, dormência, fraqueza, alfinetes e agulhas.


Se conhece alguém que teve um acidente, mesmo de menor escala, essas pessoas precisam ser avaliadas por um osteopata, que é um especialista em lidar com lesões corporais. Os osteopatas são capazes de tratar com sucesso os casos de lesões por embate automóvel.



segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Dicas para começar a meditar


Meditar cria espaço na sua Vida para Si. Apazigua a sua Mente e aos poucos, toma consciência de como se sente fisica e emocionalmente. Começa a ter uma Visão sobre a sua Vida e a sua finalidade neste Mundo. 
A Intuição torna-se cada vez mais forte e quando a combina com a sua Intenção, então torna-se num super-herói consciente.

As práticas de meditação concentram-se na respiração. Há várias técnicas e cada uma envolve coisas diferentes para fazer com a respiração. 
Por exemplo, podemos contar a respiração quando ela vem e vai, prender a respiração na parte superior e na parte inferior; respirar curto e rápido, longo e profundo e variar o ritmo e tempo num número infinito de possibilidades. 

A ideia por trás de todo o trabalho de respiração é permitir que você se torne mais consciente de si mesmo, no Aqui e Agora. Quando faz uma respiração profunda, você pode sentir-se mais do que quando a sua respiração é superficial. Experimente agora. 
Onde quer que esteja, feche os olhos e inspire lenta e profundamente através do seu nariz. Mantenha a inspiração no topo do crânio por alguns momentos. De seguida, solte lentamente todo o ar pelo nariz. Repita mais duas vezes e suavemente abra os olhos. O que sentiu? Imagine se permitisse sentir-se mais vezes na sua vida diária e sentir o seu caminho mesmo quando não está a meditar? Imagine se você tivesse espaço entre Si e tudo o que está acontecer na sua Vida? Com a meditação, você torna-se um super-herói consciente, completamente no controle, com infinitas possibilidades ao seu alcance. Quando não estamos a sentir e não meditamos regularmente estamos sujeitos ás nossas inseguranças, mudanças de humor e pensamentos negativos. Como podemos ver claramente distraídos por todo esse lixo? Cultivar uma prática diária de meditação remove o material que embacia o acesso ao seu EU. É como estar sentado atrás de uma janela suja, manchada e um dia lembra-se que pode pegar num pano e limpar o vidro e do outro lado descobre uma exuberante paisagem. 

Começar uma prática diária de meditação em casa é ainda mais simples do que a criação da prática de yoga. Não precisa de nada que não esteja já consigo. Você pode meditar no sofá, sentado na cama ou até mesmo no chão. No entanto, ter um local especial provavelmente vai ajudar a criar o hábito e a regularidade da sua prática.
Eu por exemplo tenho um zafu pousado no chão contra uma parede. É simples, fácil e confortável!  Quando de manhã vou até à sala, vejo o zafu e lembro-me de que se eu optar por sentar-me cinco minutos e sentir a minha respiração, o meu dia vai ser muito melhor. 

Eis 3 dicas para começar a sua prática de meditação:


Dica 1: Não se preocupe em limpar sua mente.
É fácil cair na crença de que o objetivo da meditação é ter uma mente muito clara para que  possa ver todos os segredos do Universo. Não se preocupe, você irá sentir na mesma uma catapulta de experiências meditativas. Não há necessidade de querer fazer tudo de imediato. A mente vagueia, é isso que ela faz, ponto. Sempre que os seus pensamentos o levem para uma nova viagem, basta trazer de volta a sua atenção para a respiração, de volta ao Sentir. Essa é a prática. O objetivo é perceber quando a sua mente divaga. Quando você percebe isso toma consciência que tem uma escolha: você pode ir para a viagem ou pode orientar a sua atenção de volta para dentro. Isso vai acontecer inúmeras vezes. Basta serenamente observar-se e guiar de volta a sua atenção para a respiração e para o Sentir. Essa é a sua prática. Tenha como objetivo o processo, não o destino.


Dica 2: Anotar.
Se você for como eu, quando tem um momento de inspiração, você não quer esquecê-lo. Uma corrente de pensamentos e ideias espontâneas poderão surgir durante a meditação. Podem ser grandes planos sobre o seu negócio, uma combinação criativa para experimentar na cozinha ou o seu próximo projeto caseiro. Quando essas ideias luminosas surgem na sua mente, você pode mergulhar ainda mais fundo com as suas ideias ou tentar armazenar as ideias no seu cérebro e ficar frustrado por ter tido uma grande ideia, quando devia estar a meditar. Se isso acontecer existe uma solução, mantenha um bloco de notas por perto onde possa apontar todas aquelas ideias luminosas que lhe surgem durante a meditação. Quando uma ideia luminosa aparecer na sua mente, durante a meditação, pare um momento e anote-a. Assim fica no papel e você pode voltar a ela e ao seu plano mestre mais tarde. Volte de seguida para a sua respiração, sabendo que as suas ideias luminosas estão agora preservadas e o seu tempo de meditação permanece sagrado e intacto.


Dica 3: Mantenha uma prática Regular.
Assim como no yoga, podemos falar sobre os seus benefícios e entender o quão melhor será a nossa Vida com esta prática, mas só funciona se você realmente a fizer. As mesmas regras se aplicam aqui: Cinco minutos é melhor do que nada, e cinco minutos por dia, todos os dias, tornam-se em muitas horas. Experimente durante uma semana e sinta a diferença.
Na parte da manhã é o melhor momento para definir o novo hábito. Você nem se quer precisa de sair da cama. Basta sentar-se, ficar confortável e dirigir a sua atenção para a respiração, durante cinco minutos. Se os seus pensamentos começam a levá-lo para longe da sua respiração, tente orientar a sua atenção de volta para ela. Se os seus pensamentos começam a divagar novamente, denovo redirecione-os para a sua respiração. Depois dos seus cinco minutos está preparada para um novo dia. 
Observe-se... Como se sente? Você sentir-se-á diferente. 
A sua visão de Si mesmo poderá mudar. Pode sentir-se com mais compaixão e  pode começar a ver mais possibilidades na sua Vida. Pode até ter o desejo de ajudar outras pessoas. Prepare-se para as maravilhas da transformação de dentro para fora.

Links cosultados: 
http://www.healyourlife.com/tags/meditation-5
http://hdwallsource.com/sky-13061.html

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

O que é a Meditação e o que pode fazer por si?





O que é a Meditação e o que a Meditação pode fazer por si?


Há muitos tipos diferentes de meditação, cada um tendo o seu próprio conjunto de crenças e técnicas de meditação. A resposta à pergunta sobre o que é a meditação é uma questão pessoal, quase sempre o adepto busca um benefício pessoal da meditação, como reduzir o stress ou alcançar um sentimento de paz.
Quando começar a meditar é que vai começar a sentir-se dentro de si. Você torna-se consciente de como se sente fisica e emocionalmente. 
Começa a ter uma visão sobre a sua vida e a sua finalidade. 
A intuição torna-se cada vez mais forte e quando a combina com a sua intenção, então torna-se super consciente.


Sobre Meditação

Há muitos tipos diferentes de meditação - pode-se aprender sobre meditação em aulas de meditação num centro de meditação espiritual, usando métodos de meditação guiada . Ou pode descobrir mais sobre  meditação por si ou num retiro de meditação. Pode explorar o tipo de meditação que funciona melhor para si: yoga, meditação budista, meditação Vipassana, meditação cristã,  meditação mindfulness, meditação Zen, meditação oração, meditação Osho, meditação taoísta, ou meditação transcendental.

Porquê Meditar?

Numerosos estudos têm mostrado porque meditar é bom para si. As razões pelas quais as pessoas meditam varia, a técnica de meditação escolhida é um reflexo dos seus objetivos de meditação. O acto meditativo de treinar ou aquietar a mente para trazer um estado de consciência tem sido comprovada para ajudar a lidar com o stress, ansiedade, problemas médicos ou até mesmo dor.

Como Meditar

Como meditar varia de pessoa para pessoa. Para começar, alguns novatos podem querer assistir a uma aula de meditação em pessoa ou on-line, ou talvez até mesmo participar de um retiro de meditação. A meditação pode ser feita com ou sem música meditativa. Algumas pessoas começam e terminam os seus dias com meditações diárias; outros optam por meditações guiadas. Como meditar realmente depende de quais os benefícios da meditação o praticante quer alcançar e o seu nível de conforto com a prática meditativa.


Adaptado de: http://www.healyourlife.com