quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Desapego



O desapego, como sabemos, não é uma rejeição, mas uma liberdade que prevalece quando deixamos de nos atar às causas do sofrimento. Num estado de paz interior, com conhecimento lúcido de como funciona a nossa mente. Matthieu Ricard

A vida e seus problemas devem ser encarados de frente, mas não são coisas às quais devamos nos apegar.
É verdade que o dinheiro tem importância, mas a pessoa que se apega a ele torna-se avarenta e escrava do dinheiro. É muito fácil apegarmo-nos à nossa beleza, às nossas aptidões ou às nossas posses, e assim nos sentirmos superiores aos outros. É igualmente fácil apegarmo-nos à nossa feiura, à nossa falta de aptidões ou à nossa pobreza, e assim nos sentirmos inferiores aos outros. 
O apego às condições favoráveis leva à avidez e ao falso optimismo, enquanto que o apego às condições desfavoráveis leva ao ressentimento e ao pessimismo.

Quando adoecemos, chegamos até mesmo a nos apegar à doença. Todas as doenças serão curadas, excepto uma, que é a morte. Quando você estiver doente, aceite a doença e faça o possível para se recuperar. Aceite a doença e a transcenda… ou melhor, aceite-transcendendo. A vida é mutável; todas as coisas são mutáveis; todas as condições são mutáveis. Por isso, “deixe ir” as coisas. Todos os abusos, a raiva, a censura – deixe que venham e que se vão. Tudo o que fazemos, devemos fazer com sinceridade, com honestidade e com todas as nossas forças; e uma vez feito, feito está.
Não nos apeguemos a isso. Muitas pessoas apegam-se ao passado ou ao futuro, negligenciando o importante presente. Devemos viver o  “aqui e agora”, com plena responsabilidade. 
Quando o sol brilha, desfrute-o.
Quando a chuva cai, desfrute-a.
Todas as coisas nesta vida – deixe que venham e deixe que vão. Este é um segredo da vida que nos impede de ficar aborrecidos ou neuróticos.
Todas as coisas na vida e no mundo estão em constante mutação, não se torne apegado a elas.

Adaptado: www.budavirtual.com.br