domingo, 24 de novembro de 2013

És escravo de ti mesmo?




Das feridas que recebeste em criança? Dos teus traumas de infância? Do que alguém decidiu que deverias ser? Duma relação que não te satisfaz? Dum trabalho que não te preenche? Da rotina da tua vida?


Liberta-te já! Liberta-te desse peso que carregas.Do ressentimento, do rancor e da culpa.
Deixa de culpar os outros e o teu passado pelo que não corre bem na tua vida. Cada dia tens a oportunidade de começar de novo. Cada manhã, ao abrir os olhos nasces de novo, recebes uma nova oportunidade para mudar o que não gostas na tua Vida e melhorá-la. A responsabilidade é toda Tua.

A tua felicidade não depende dos teus pais, do teu companheiro, dos teus amigos, do teu passado... Depende apenas de ti. O que te impede de agir? O medo do fracasso? Do medo do êxito? O que os outros dirão? As críticas? O medo de errar? Estar só?
Liberta-te das amarras que criaste para ti mesmo.  A única coisa da qual deves ter medo é a de não seres tu mesmo. Deixares que a vida passe por ti sem fazeres dela o que queres, sem dizeres o que pensas, sem partilhares o que és, desaproveitando a oportunidade de Ser.

Tu fazes parte da Vida e como tal podes levar uma Vida em grande. Os erros do passado já foram esquecidos e os do futuro perdoados. Apercebe-te que ninguém exceto Tu, regista as tuas falhas. Esse jugo que carregas, essa verga que te castiga, esse falso amigo que te critica... És Tu Mesmo! Liberta-te e faz as pazes contigo mesmo, perdoa-te, és o principal beneficiado.

A Vida é tão curta e tão frágil que não devemos desperdiçá-la com rancor e ressentimentos. O Amor que não demonstrares hoje perde-se para sempre. Hoje é o dia de perdoares as ofensas do passado e deixares as discussões parvas. Entrega-te aos que amas sem esperares mudá-los, aceita-os tal como são e respeita o dom mais valioso que recebemos – a Liberdade.

De que estás à espera para começares a viver a tua Vida? Que todos os teus problemas acabem? Que os teus traumas desapareçam? Que alguém reconheça o teu valor? Que o amor da tua vida chegue? Que tudo aconteça como tu queres? Que a crise acabe? Que aconteça um milagre? Acorda! A Vida é Agora! A Vida não é o que aconteceu enquanto todos os teus planos se concretizavam ou quando finalmente atingiste tudo o que desejavas. A Vida é o Presente, o Agora. É o estar consciente de que estás  Agora a ler este parágrafo, do local onde estás e de todas as circunstâncias que te  envolvem. Estar consciente de que neste preciso momento o teu coração está a bombear sangue para todo o teu corpo e de que respiras.

Neste momento, algo que não compreendes mantém-te vivo e permite-te ver, pensar, expressar, movimentar, sorrir, chorar... Não te acostumes à Vida! Não te acostumes a todas as manhãs  acordar aborrecido, mal humorado, preocupado. Lembra-te, um dia podes não acordar. Abre os olhos e agradece as bençãos que recebes todos os dias. Agradece ouvires o chilrear dos pássaros, a tua música preferida, veres as cores do céu, sentires o vento a tocar-te na cara... Põe as mãos no peito,  sente o coração a bater com força  e a dizer-te: Estás vivo! Estás vivo!

A Vida não é fácil, está cheia de situações difíceis, mas talvez seja  suposto ser assim mesmo. E talvez, por isso, te tenham presenteado com as ferramentas necessárias para a enfrentar. Força para suportar as perdas, coragem para enfrentar as situações, flexibilidade para ver diferentes ângulos do mesmo assunto, compaixão para entender os outros...

Sê uma melhor versão de Tu mesmo, sê Livre e recupera a tua Vida!


segunda-feira, 7 de outubro de 2013


Libertação



Há a perceção inata, embora vaga de que a vida é mais do que ter uma família, amigos, sucesso razoável – “uma boa vida”. Para estas pessoas, o objectivo é a libertação de todas as limitações, realizar todo o potencial humano e finalmente o Eu Superior. 
A primeira questão que temos que perguntar é: 
- “Qual é o propósito da minha vida? O que é que torna a minha vida digna de ser vivida?”

Outras perguntas devem ser também respondidas:
- O que é que “libertação” significa para mim?
- Que prisões e dependências criei para mim próprio que me retêm?

Nós temos que investigar todos os nossos conceitos e ideias, tudo o que aceitamos cegamente, sem questionar. A aceitação sistemática da autoridade permite que nos deixemos hipnotizar, programar e condicionar. Temos que perguntar: 
- Em que áreas da minha vida eu estou hipnotizado? 
Talvez cheguemos à conclusão de que fomos programados pelas ideias e, em alguns casos, erradas, dos adultos à nossa volta. 

No decurso do crescimento espiritual, todos os nossos conceitos, ideias e crenças têm que ser investigadas e reavaliadas repetidamente. Só assim poderá crescer a nossa consciência e o nível de compreensão. Em vez de um sonâmbulo, uma pessoa hipnotizada ou condicionada, tornar-se-à gradualmente a pessoa que realmente é. O processo de acordar da ignorância e da ilusão, de se libertar de tantas limitações quanto possível, e eventualmente de atingir a Consciência Cósmica, este é o propósito de todos os caminhos do Yoga e, em particular, do Kundalini Yoga (1). 

“Conheça-se a si próprio e seja livre.” – Observar a mente deve ser uma prática constante. A mente reage ao menor estímulo o que torna o seu controlo extremamente difícil. Uma mente que vagueia é muito ineficiente, perde energia e enfraquece a pessoa, física e mentalmente. Ao estar atento ao que se passa na mente, descobrem-se os mecanismos que a controlam e obtém-se a capacidade de a controlar e dirigir. Este conhecimento crescente sobre a mente, que podemos traduzir por “consciência de si”, liberta-nos dos pensamentos, discursos e acções automáticas, mecanizadas. 

Pergunte-se:
- Condicionei-me ao longo dos anos repetindo para mim próprio frases-chave negativas?
- Vejo os factos como eles são ou vejo apenas aquilo que quero ver?
- Mantenho a espada da discriminação bem afiada para encontrar o equilíbrio entre razão e emoção, lógica e intuição, medo e coragem, força e suavidade, rigidez e flexibilidade?

Uma proposta prática: 
- Desafie uma limitação que reconheça em si e mude conscientemente o seu comportamento relativamente a ela. 
- Desafie uma ideia que tem acerca de si próprio fazendo aquilo que normalmente pensa não ser capaz de fazer. 
- Mude os seus hábitos. Por exemplo, vá a um sítio diferente ou siga um percurso novo. 
- Observe a sua forma de falar. Procure libertar-se de formas automáticas de falar. 
- Observe as suas emoções e estados de espírito ao longo de uma semana. Procure ver a causa das mudanças que elas vão tendo. 

O Yoga, sendo um caminho para a Libertação, leva-nos aos níveis mais elevados do ser, simbolizado no mapa Kundalini pelo 6º e 7º chakras. Liberta-nos do carrossel em que a mente se move, reforça a nossa capacidade de ouvir o ser interior com intuição e de perceber as forças mais subtis e as suas expressões, simbolizadas pelo elemento eter do 5º chakra. A mente, que no início exprimia a sua força criativa de forma compulsiva e nem sempre para seu próprio benefício, aprendeu a focar-se em si própria e tomou apenas uma direção, a da Luz Branca, símbolo do Grande Vazio. 

(1) Publicação: Kundalini Yoga for the West de Swami Sivananda Radha, Timeless Books, 2004.

sexta-feira, 27 de setembro de 2013


Viver a Vida



Viver a Vida é uma preocupação de todos nós, a mais importante das nossas preocupações. Eu pergunto, quantas pessoas realmente vivem a vida. Você vive ou apenas existe? A verdadeira paz e alegria da Vida estão baseadas em viver a Vida. Muitas pessoas que são impacientes, nervosas, sempre queixosas, cansadas, aborrecidas e indiferentes, não estão a viver a Vida. Aquele que vive a Vida é alegre, vibrante, criativo, com pleno desabrochar interior. Percebe o significado da Vida e aprecia o trabalho ao qual se dedica.

Um dia, Buda chegou a uma aldeia e viu três pedreiros a trabalhar.
Perguntou a um deles:
— O que está a fazer?
— Estou a assentar tijolos – foi a resposta. Buda fez a mesma pergunta ao segundo pedreiro e ele respondeu:
— Estou a ganhar dinheiro.
Quando Buda se aproximou do terceiro homem e lhe perguntou o mesmo, ele levantou os olhos para Buda e exclamou:
— Estou a construir um templo.

A sua face era radiante e cheia de esperança. Este homem estava a viver a Vida.
Todos nós precisamos de viver a Vida – a nossa própria Vida.
Mas esta Vida muito pessoal não é isolada e independente. A verdadeira Vida é sempre uma com a Vida universal, e, contudo, é ao mesmo tempo singularmente independente dela. A verdadeira vida é nunca sacrificar nem ser sacrificado. A verdadeira vida é sempre criativa e desabrocha do nosso interior. Portanto, é uma arte de viver. Uma pessoa é um artista da Vida, qualquer que seja sua ocupação.

A vida apenas se realiza a si mesma. A Vida às vezes é dura, às vezes suave. A Vida apenas É. Viva-a.

adaptado: http://budavirtual.com/

quarta-feira, 19 de junho de 2013

As pessoas felizes fazem o melhor com o que têm




Existem dois tipos de pessoas no mundo: aquelas que escolhem ser felizes e aquelas que optam por ser infelizes. Ao contrário da crença popular, a felicidade não vem da fama, da fortuna ou de bens materiais. Ela vem de dentro. A pessoa mais rica do mundo pode estar miseravelmente infeliz, enquanto um sem-abrigo pode estar sorrindo e contente com a sua vida. As pessoas felizes são-lo porque se fazem felizes. Elas têm uma visão positiva da vida e permanecem em paz com elas mesmas. 
A questão é: como fazem isso?
É muito simples. As pessoas felizes têm  hábitos que melhoram suas vidas e comportam-se de maneira diferente. Pergunte a uma pessoa feliz e ela vai dizer:
1. Não guarde rancor.
As pessoas felizes entendem que é melhor perdoar e esquecer que deixar que sentimentos negativos as dominem. Guardar rancor é prejudicial e pode causar depressão, ansiedade e stress. Para quê deixar que uma ofensa de alguém exerça algum poder sobre si? Se esquecer os seus rancores, vai ganhar uma consciência clara e energia suficiente para apreciar as coisas boas da vida.
2. Trate a todos com bondade.
Sabia que foi cientificamente provado, que ser gentil faz você feliz? Ser altruísta faz o cérebro produzir serotonina, uma hormona que diminui a tensão e eleva o espírito. Tratar as pessoas com amor, dignidade e respeito permite construir relacionamentos mais fortes.

3. Veja os problemas como desafios. 
A palavra “problema” não faz parte do vocabulário de uma pessoa feliz. Um problema, na maioria das vezes, é visto como uma desvantagem, uma luta ou uma situação difícil. Mas quando encarado como um desafio, pode se transformar em algo positivo, como uma oportunidade. Sempre que enfrentar um obstáculo, pense-o como um desafio.

4. Expresse gratidão pelo que já tem.
Há um ditado popular que diz: “As pessoas mais felizes não têm o melhor de tudo, elas fazem o melhor de tudo com o que elas têm.” Terá um sentido mais profundo de contentamento se contar as  bênçãos que tem, em vez de ansiar pelo que não tem.

5. Sonhe grande.
As pessoas que têm o hábito de sonhar grande são mais propensas a realizar os seus objetivos que aquelas que não o fazem. Se se atrever a sonhar grande, a sua mente vai assumir uma atitude focada e positiva.

6. Não se preocupe com as pequenas coisas.
As pessoas felizes perguntam-se: “Será que este problema terá a mesma importância daqui a um ano?” Elas entendem que a vida é muito curta para se preocupar com situações triviais. Deixar os problemas rolarem à sua volta vai, definitivamente, deixar você à vontade para desfrutar de coisas mais importantes.

7. Fale bem dos outros.
Ser bom é melhor que ser mau. Fofocar pode até ser divertido, mas, geralmente, deixa-o a sentir-se  culpado e ressentido. Dizer coisas agradáveis sobre as pessoas leva você a pensar positivo e a não se preocupar em julgá-las.

8. Não procure culpados.
Pessoas felizes não culpam os outros pelos seus próprios fracassos. Em vez disso, elas assumem os seus erros e, ao fazê-lo, mudam para melhor.

9. Viva o presente.
Pessoas felizes não vivem do passado ou preocupam-se com o futuro. Elas saboreiam o presente.  Envolvem-se em tudo o que estão a fazer no momento. Param e cheiram as rosas. Sentem o vento.

10. Acorde no mesmo horário todos os dias.
Já reparou que muitas pessoas bem-sucedidas tendem a ser madrugadores? Acordar no mesmo horário estabiliza o metabolismo, aumenta a produtividade e coloca-nos num estado calmo e centrado.

11. Não se compare aos outros.
Todos têm o seu próprio ritmo. Então, porquê  comparar-se aos outros? Pensar em ser melhor que outra pessoa leva a um sentimento de superioridade não muito saudável e, se pensar o contrário, acabará sentindo-se inferior. Então, concentre-se no seu próprio progresso.

12. Escolha os seus amigos sabiamente. 
A miséria adora companhia. Por isso, é importante cercar-se de pessoas otimistas que vão incentivá-lo a atingir os seus objetivos. Quanto mais energia positiva tiver em torno de si, melhor vai-se sentir.

13. Não busque a aprovação dos outros.
As pessoas felizes não se importam com o que os outros pensam delas. Seguem os seus próprios corações, sem deixar os pessimistas desencorajá-los, e entendem que é impossível agradar a todos. Escute o que as pessoas têm a dizer, mas nunca busque a aprovação de ninguém.

14. Aproveite seu tempo para ouvir.
Fale menos, ouça mais. Escutar mantém a mente aberta. Quanto mais ouve, mais conteúdo absorve.

15. Cultive relacionamentos sociais.
Uma pessoa só, é uma pessoa infeliz. Pessoas felizes entendem o quão importante é ter relações fortes e saudáveis. Tenha sempre tempo para encontrar e falar com a sua família e amigos.

16. Medite.
Ficar no silêncio ajuda-o a encontrar a sua paz interior. Não tem que ser um mestre zen para alcançar a meditação. As pessoas felizes sabem como silenciar suas mentes, em qualquer hora e lugar, para se acalmar.

17. Coma bem.
Tudo o que você come afeta diretamente a capacidade do seu corpo produzir hormonas, o que vai definir o seu humor, energia e enfoque mental. Certifique-se de comer alimentos que vão manter o seu corpo saudável e em boa forma e a sua mente mais tranquila.

18. Faça exercício.
Estudos têm mostrado que o exercício aumenta os níveis de felicidade e autoestima e produz a sensação de autorrealização.

19. Viva com o que é realmente importante. 
As pessoas felizes mantêm poucas coisas ao seu redor porque elas sabem que os excessos as deixam sobrecarregadas e stressadas. Estudos concluíram que os europeus são muito mais felizes que os americanos, porque eles vivem em casas menores, dirigem carros mais simples e possuem menos coisas.

20. Diga a verdade. 
Mentir corrói a sua autoestima e o torna antipático. A verdade sempre liberta. Ser honesto melhora a sua saúde mental e faz com que os outros tenham mais confiança em si. Seja sempre verdadeiro e nunca se desculpe por isso.

 21. Estabeleça o controle pessoal.
As pessoas felizes têm a capacidade de escolher os seus próprios destinos. Elas não deixam os outros dizerem como devem viver as suas vidas. Estar no controle completo de sua própria vida traz sentimentos positivos e aumenta a auto-estima.

22. Aceite o que não pode ser alterado. 
Depois de aceitar o facto de que a vida não é justa, você vai estar mais em paz consigo mesmo. Portanto, concentre-se apenas no que você pode controlar e mudar para melhor.

terça-feira, 4 de junho de 2013

Técnica de libertação miofascial



O stress do dia a dia leva-nos a ficar com o corpo tenso, áreas como o pescoço, os ombros, as costas e até mesmo as pernas sofrem com isso. Faça em sua casa esta pequena série de exercícios miofasciais e alivie essa fadiga muscular.

terça-feira, 19 de março de 2013

Intolerância ao Glúten



Existem mais de 55 doenças relacionadas com a ingestão de glúten. Esta proteína encontra-se no trigo, centeio, cevada e aveia. Estima-se que 99% das pessoas celíacas ou intolerantes ao glúten nunca foram diagnosticadas.

Estima-se que existem cerca de 100 000 celíacos e intolerantes ao glúten em Portugal. Será que você é um deles?


Estes são os sintomas de intolerância ao glúten:

1. Problemas digestivos como gases, arrotos, diarreia e prisão de ventre. A prisão de ventre pode ser muitas vezes observada na crianças após ingerirem alimentos com glúten.

2. Keratosis Pilaris, ( pele de galinha na parte d terás dos braços). Isto surge como um resultado da deficiência de ácidos gordos e vitamina A, devido à má absorção causada pelo glúten ao longo do sistema digestivo.

3. Fadiga física e mental, desorientação ou falta de concentração após uma refeição com glúten.

4. Diagnóstico duma doença auto-imune como Hashimoto na tiróide, artrite reumatóide, cólite ulcerosa, Lupus, psoríase, esclerose múltipla ou Chron.

5. Sintomas neurológicos como tonturas ou falta de equilíbrio.

6. Desiquilíbrios hormonais como síndrome pré-menstrual, síndrome de ovário poliquístico ou infertilidade inexplicável.

7. Enxaquecas permanentes.

8. Diagnósticos de fibromialgia ou síndrome de fadiga crónica.

9. Inflamação, inchaço ou dor nas articulações dos dedos, joelhos ou anca.

10. Mudanças de humor, ansiedade, depressão, défice de atenção ou hiperatividade.

Como pode saber se é intolerante ao glúten?

A melhor maneira de determinar se é intolerante ao glúten é uma dieta de eliminação, ou seja, remover os alimentos com glúten da sua dieta durante 2 a 3 semanas e depois voltar a reintroduzi-los.
Lembre-se que o glúten é uma proteína de cadeia longa e pode levar meses ou mesmo anos até ser eliminada do seu organismo. Por isso, quanto mais tempo conseguir eliminá-la da sua dieta melhor.

Se se sentir melhor, com mais vitalidade e mais bem disposto, após ter eliminado o glúten da sua dieta e ao reintroduzi-lo se sente pior, mais fatigado, então é porque muito provavelmente tem intolerância ao glúten.
Ou faça um teste de intolerância alimentares.

Como tratar a intolerância ao glúten?

Eliminando-o a 100% da sua dieta. Mesmo alimentos com vestígios de glúten podem provocar uma reacção imunitária no seu organismo.
A regra do " Não comemos glúten em casa, só quando jantámos fora " é errónea. Um artigo de 2001 afirma que para pessoas com intolerância ao glúten, ingerir glúten ainda que uma vez por mês, aumenta em 600% o risco de morte. 


terça-feira, 5 de março de 2013


Os Vegetais Como Fonte de Cálcio




A noção de que o leite e derivados são a melhor (se não a única) fonte de cálcio está tão enraizada na nossa sociedade que a maioria das pessoas tem dificuldade em aceitar a ideia de que é possível ter ossos saudáveis sem o consumo de laticínios. 

A noção de que o cálcio é exclusividade do leite da vaca é fruto de um elaborado trabalho de propaganda por parte das indústrias de laticínios. Apesar de não poderem afirmar diretamente que o leite de vaca é a única fonte de cálcio (isto seria propaganda enganosa) a indústria busca passar esta noção ao consumidor. Faz pouco mais de um ano que a Vegan Society do Reino Unido processou uma multinacional que lançou uma campanha que trazia a frase: “Leite – essencial para ossos saudáveis”. Em poucos dias, a campanha foi retirada do ar, pois essencial é aquilo que não pode ser substituído, o que não é o caso dos laticínios como fonte de cálcio.


Quais os alimentos vegetais que devemos ingerir que são boas fontes de cálcio? 
Os vegetais verde-escuros (bróculos, couve e quiabo) são excelentes fontes de cálcio e estão acompanhados de uma série de outros nutrientes importantes para o metabolismo do cálcio, como o potássio e a vitamina K. As frutas secas (figo, damasco, uva-passa) e as castanhas e sementes (nozes, avelãs, amêndoas, castanhas, semente de girassol, sementes de sésamo, entre outras) são fontes bastante concentradas deste mineral e são muito fáceis de serem armazenadas, transportadas e consumidas. E as leguminosas (soja, tofu, lentilhas, ervilha, grão-de-bico, feijões), muitas delas tão presentes na mesa dos portugueses, são também boas fontes de cálcio.

Estudos científicos demonstram que o cálcio dos alimentos vegetais é mais bem absorvido.
No que diz respeito à saúde óssea, as vantagens de se obter o cálcio dos alimentos de origem vegetal não param por aqui. Uma dieta vegana é mais rica em vitamina K e potássio e mais pobre em sódio. É também mais abundante em alimentos alcalinizantes ao mesmo tempo que é baixa em proteínas.

Além do aspecto alimentar, devemos considerar a vitamina D e a atividade física. A vitamina D pode ser produzida pelo organismo e tem papel fundamental para o balanço positivo de cálcio. Ela é sintetizada quando ocorre a exposição adequada da pele à luz solar. Para pessoas de pele clara, uma exposição de cerca de 20 minutos em uma pequena porção de pele (mão e rosto, por exemplo) quando o Sol está a um ângulo acima de quarenta graus do horizonte é o suficiente para estimular a produção de vitamina D em quantidade adequada. Pessoas de pele escura devem estender este tempo de exposição para até uma hora. A atividade física também é muito importante para uma boa saúde óssea. Pense nos seus ossos como se fossem os seus músculos: se você os utilizar pouco, eles se desenvolverão pouco.

Quando optamos por ingerir cálcio a partir de fontes vegetais, optamos por ingerir alimentos que são também boas fontes de ferro, fibras e outros nutrientes importantíssimos e que não são encontrados nos laticínios.

Dr George Guimarães, nutricionista especializado em dietas vegetarianas
www.nutriveg.com.br

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013



Cuide do seu Intestino



Sabia que em média carregamos entre 4 a 9Kg de matéria fecal no intestino? E esta é a média para uma uma pessoa saudável sem alergias alimentares conhecidas. Quando as toxinas acumuladas no intestino são absorvidas pelo sangue dificultam a boa metabolização dos alimentos e diminuem a energia vital do organismo.

Existem muitos problemas de saúde resultantes da toxicidade acumulada no intestino, que se manifestam no nosso dia a dia. Obstipação, gases, afrontamentos, fadiga, gula por determinados alimentos, hipoglicemia, alergias, artrite ou dificuldade em perder peso, são apenas alguns dos sintomas. Por vezes, tentamos tratar de cada sintoma em separado quando os devíamos olhar em conjunto e tratar a raiz do problema. Daí a importância da desintoxicação do intestino.

Um intestino saudável deve funcionar duas a três vezes por dia, um pouco após cada refeição. A eliminação deve ser rápida e completa. As fezes devem ser de cor castanho-claro, longas e de diâmetro até 4cm, a textura deve ser consistente.

Como manter o intestino saudável:

1.  Ingira fibras. Uma dieta rica em fibras, tanto solúveis como não solúveis, promove uma maior sensação de saciedade e ajuda o trânsito intestinal. Pode adicionar fibras às suas refeições por exemplo, comendo um batido de fruta ao pequeno almoço, adicionando lentilhas às saladas ou bagas e fruta ao lanche.

2. Elimine. Evite alimentos que contribuam para o mau funcionamento intestinal: comida processada, açucares, farináceos, álcool e cafeína, aditivos alimentares como os  edulcorantes, lacticínio e frutas e legumes tratados com pesticidas.

3. Hidrate-se. É essencial beber 8-10 copos de água por dia. Se estiver com prisão de ventre, deixe uma ameixa seca num copo de água e beba-o em jejum, para restabelecer o funcionamento intestinal.

4. Mexa-se. O exercício físico contribui para o bom funcionamento das vísceras e acelera a eliminação intestinal.

5. Suplementos. Tome enzimas digestivas após as refeições, ajudam a regular a digestão e a quebrar as proteínas que podem ficar no intestino. As melhores enzimas são as do ananás e da papaia.

Qualquer programa de desintoxicação das vísceras deve durar cerca de 1- 3 meses, dependendo dos sintomas de cada um. No geral, qualquer pessoa beneficiaria duma desintoxicação do intestino, duas vezes ao ano. Porém, o ênfase deve estar na prevenção e na mudança de hábitos alimentares.

Mantenha o seu sistema imunitário em topo de forma e ainda perca peso ao fazê-lo!


in http://www.mindbodygreen.com/0-6163/Why-a-Clean-Colon-Is-the-Key-to-Health-5-Steps-to-Keep-You-in-the-Clear.html

Deite cá para Fora - Escrever é Benéfico para a Saúde


Tente dedicar alguns minutos por semana a escrever um diário. Escreva sobre aqueles momentos que lhe causam mais stress no dia a dia, ou sobre episódios traumáticos da sua vida. Escrever é benéfico para a saúde.

O Dr. James Pennebaker e a Dra. Janet Seagal, da Universidade do Texas, levaram a cabo um estudo com estudante universitários que dedicavam 20min, alguns dias por semana, a escreverem sobre situações stressantes na sua vida. O estudo revelou que os estudantes que escreviam o diário eram mais saudáveis do que os que não escreviam. ( Journal of Clinical Psychology)

Outro estudo, em que participaram 112 pacientes que sofriam de asma ou artrite reumatóide e que escreviam num diário, revelou ainda que os pacientes que escreviam sobre os acontecimentos traumáticos e stressantes da sua vida tinham melhorias significativas em comparação com aqueles que escreviam sobre assuntos neutros.

Os pacientes asmáticos melhoraram a capacidade pulmonar em 1 segundo (teste de expiração forçada) e os pacientes com artrite reumatóide demonstraram melhoria das capacidades funcionais. No total, 47,1% dos pacientes conseguiram atingir melhorias clínicas significativas. (American Medical Association)

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Hatha Yoga

O Hatha Yoga é a forma de Yoga mais conhecida no Ocidente, sendo um
sistema mental e de disciplina física com o objectivo de dar a cada pessoa um
grande controlo do seu próprio corpo e mente.

O Hatha Yoga foca-se mais nas posturas correctas - asanas, exercícios específicos de respiração que são usados no controlo da força e da energia da vida, conhecida como Prana. O Hatha Yoga melhora a saúde, a forma física e o espírito.

Como é uma aula de Hatha Yoga?
Uma aula de Hatha Yoga é composta por alongamentos lentos com simples exercícios de respiração e por vezes meditação em posição sentada. É uma óptima aula para aprender os exercicios básicos, as técnicas de relaxamento, por forma a ficar mais confortável com o Yoga.

Como o Hatha Yoga melhora o seu bem-estar?
Uns são muito lentos e vocacionados para o alongamento, outros são mais rápidos e para manter a boa forma. Se pretende aliviar o stress, saiba que nenhuma vertente de Yoga é superior, por isso, escolha a que vai mais de encontro às suas necessidades, à sua condição física e personalidade. 
Qualquer exercício vai ajudá-lo a aliviar o stress porque consegue manter o seu corpo são e liberta endorfinas, as hormonas que o fazem sentir melhor. Através do alongamento, pode libertar a tensão que existe em si. Quando está stressado, a tensão armazena-se no corpo fazendo com que se sinta tenso e por vezes causa dores. Os alongamentos intensos de Yoga libertam a tensão de áreas problemáticas, como as ancas, pescoço e ombros.