segunda-feira, 26 de junho de 2017

O que é Hatha Yoga?


“Quem usa yoga apenas como ginástica – o que é muito agradável e eficaz – está comendo a casca da banana e jogando o miolo fora.” Professor Hermógenes.


Muitas vezes perguntam-me se o hatha yoga é uma ginástica e se emagrece. Vou neste artigo tentar esclarecer essa dúvida.

Começo por dizer que o Hatha Yoga é, também, um excelente exercício físico. E sim: quem está acima do peso pode emagrecer se colocar em prática as técnicas e recomendações sugeridas por esse sistema que foi o grande responsável pela popularização do yoga no Ocidente.

Hatha yoga poder ser traduzido como o yoga da força extrema, ou o yoga do sol e da lua, fazendo alusão aos objectivos de equilibrar a polaridade da energia vital e de transcender a identificação com a dualidade.

É uma das frentes de actuação que compõe o que chamamos de yoga como um modo de vida e faz parte do vasto corpo de conhecimentos védicos. Refere-se, sobretudo, às práticas físicas: acções purificadoras, posturas e técnicas respiratórias; em sânscrito: kriyas, asanas e pranayamas, respectivamente.

Actualmente, existem diversos estilos de hatha yoga: Iyengar, Ashtanga Vinyasa, Vinyasa, Vinyoga, Kundalini Yoga etc. Uma infinidade de nomes, mas não se perca neles, todos esses estilos derivam e não deixam de ser hatha yoga. Esses nomes variam de acordo com a maneira de executar as técnicas.
Por exemplo, enquanto no Iyengar yoga se foca mais o alinhamento corporal e a permanência nas posturas, no Ashtanga Vinyasa o foco está na fluidez entre elas dentro de séries fixas. No entanto, esses métodos giram em torno do mesmo propósito: proporcionar o bom funcionamento do corpo-mente, servindo de "escada" para um estado mais claro de compreensão sobre si mesmo.

Tal como referi no início, o hatha yoga não é apenas um exercício físico tal como o concebemos. Além de ter por base um corpo de conhecimento, as técnicas em si possuem uma natureza de actuação peculiar: Através das camadas mais externas e densas do Ser, trabalhamos as mais internas e subtis.
Ou seja, quando usamos os músculos para fazer uma postura, o objectivo principal não é fortalecer ou alongar a musculatura necessária para a sua execução.
No geral as posições do hatha yoga têm outras prioridades, tais como:

aumentar o aporte sanguíneo em determinadas regiões, sobretudo no cérebro;

massajar os órgãos; 

estimular o funcionamento do sistema digestivo e das glândulas endócrinas; 

tonificar o sistema nervoso; 

captar e distribuir o prana de forma equilibrada 

e aquietar a mente.

Naturalmente, por conta de todos esses estímulos, se estivermos acima do peso adequado, vamos emagrecer. Não apenas pela lógica das calorias queimadas, mas por um conjunto de factores que vão do bom funcionamento do sistema digestivo e das glândulas até à conquista de uma mente mais presente e disciplinada, capaz de fazer escolhas, o que resulta, também, numa capacidade maior de manter uma dieta moderada.

É claro que as camadas mais externas do corpo, como os músculos e as articulações, também são beneficiadas com a prática das posturas, porém, mais do que promover a saúde e o bem-estar, esses resultados contribuem para que tenhamos uma base firme e confortável - sthira sukham, para a realização de práticas mais subtis como pranayama e meditação.

Nesta jornada, caminhamos para uma percepção mais profunda sobre o Mundo e sobre nós mesmos, de modo a nos libertarmos de esteriótipos e nos desvencilharmos das possíveis sensações de inadequação e limitação que se apresentam uma após a outra.

Se o seu objectivo actual é emagrecer, ótimo. Mas e depois? A sensação de inadequação provavelmente recairá sobre outro aspecto da sua Vida. O yoga, que a princípio pode ser atractivo para quem deseja solucionar um problema momentâneo, também pode proporcionar uma solução mais consistente e definitiva na vida de cada um. Para isso, basta que se dedique com sinceridade à sua Busca.

Adaptado: https://yogaemcasa.net

Sem comentários: