quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Intenções para o Ano Novo



Estamos na última semana do ano e são muitas as pessoas que se preparam para o Ano Novo, compram roupas novas,sapatos, champanhe, passas e aguardam ansiosamente essa noite única em que um ano termina e um novo ano começa.

Algumas vão para a rua festejar, ver os concertos e o fogo de artifício, outras ficam em casa a conviver com os amigos, mas todos abrem a sua garrafa de champanhe como celebração da chegada do novo ano. Esse novo ano em que depositamos as nossas esperanças e que nos vai trazer tudo aquilo que desejamos, tudo aquilo que não concretizamos no ano anterior.
Decidimos e desejamos muitas coisas: ir para o ginásio, perder peso, ser felizes, ter um novo emprego, ir de férias para um sitio paradisíaco, caminhar pela natureza, meditar...

Para a maioria das pessoas, tudo isso são sonhos, apenas desejos vãos que se esvanecem com o passar dos dias e das semanas, e logo damos por nós emaranhados nas rotinas do  dia-a-dia e sem tempo para realizar os nossos desejos, ou simplesmente esquecêmo-nos deles e guardámo-los na gaveta até a próxima passagem de ano em que
tudo vai ser diferente e na qual vamos mesmo conseguir realizá-los, pelo menos é isso que nos dizemos a nós próprios.

Mas este ano vamos fazer diferente, vamos passar em retrospectiva o nosso ano e vamos reflectir e estar gratos pelos desafios que a Vida nos apresentou. É com estes desafios que despertamos a coragem que é necessária para nos alinharmos com a nossa verdadeira Essência.
É uma boa altura para reflectirmos se durante o ano agimos a partir do nosso coração e das nossas intenções, ou se nos deixamos levar pelos sonhos e expectativas dos outros. Se mantivemos as nossas intenções alimentadas pelo fogo do coração ou se nos perdemos do nosso propósito. Ao criarmos intenções estamos a dizer ao Universo que queremos ir por ali - qual o nosso propósito. Lembrem-se que o Universo conspira a nosso favor, trazendo-nos aquilo em que nos focamos.

Onde está o teu pensamento está a tua energia.

 Manter as nossas intenções e o nosso propósito em mente ajuda a mantermo-nos no Caminho.
Uma vida sem propósito pode tornar-se numa Vida vazia, em que um dia passa atrás do outro sem termos uma direcção definida. Ao focarmo-nos no nosso Coração e no que é importante, criamos a clareza e a auto-descoberta necessária para atingir o nosso Dharma.
É aí que a transformação aconteceÉ necessária essa busca incessante pela nossa Essência -  pela alma, para recuperarmos o nosso Eu Interior e encontrarmos essa sensação de profundo contentamento e inspiração, à medida que nos aproximamos, cada vez mais, do nosso verdadeiro Caminho.

Que perguntas podemos fazer?

1. O que me apaixona? O que quero cultivar na minha Vida?

2. O que está a correr bem na minha Vida? 

3. O que não está a correr bem na minha Vida e em que posso mudar?


Agora, vou ajudar-te a criar essa lista de intenções para o novo Ano. 
Vamos precisar de lápis e um bloco de notas ou para os mais tecnológicos uma app de notas.

1. Retira-te para um sítio onde sabes que não vais ser incomodado, o teu Sítio Sagrado.

2. Senta-te e respira fundo por algumas vezes, libertando todo o stress do dia-a-dia, liga-te com o teu Coração e escuta os Desejos do teu Coração.

3. Escreve as tuas Intenções no teu Bloco de Intenções.

4. Compromete-te contigo e diariamente relembra-te e relê as tuas intenções.

5. Mantém-te focado nas tuas intenções, dedicando-lhes todos os dias um pouco da tua atenção e carinho.

6. Inspira-te.
"A felicidade acontece quando o que pensamos, dizemos e fazemos estão em harmonia" Gandhi

Autora: Susana Pimenta
www.susanapimentaterapias.com

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Moksha - o Caminho da Libertação



Liberdade significa a capacidade de agir guiado pela alma, e não compelido por desejos e hábitos. Obedecer ao ego leva à escravidão; obedecer à alma leva a libertação.

Até decidirmos agir, somos livres, mas depois que agimos, o efeito da ação  perseguir-nos-á, quer queiramos quer não. Essa é a lei do karma. Podemos agir com liberdade, mas quando realizamos determinado acto, deveremos colher os frutos desse acto.

A libertação do homem pode ser definitiva e imediata, se ele assim o quiser; não depende de vitórias externas, mas internas.
O caminho que leva à libertação é o caminho do serviço, ajudando os outros. O caminho para a felicidade é o caminho da meditação e da sintonia com Deus. Derrubem as limitações que o ego lhes impõe; livrem-se do egoísmo; libertem-se da consciência do corpo; esqueçam-se de si mesmos; ponham fim a esta cadeia de encarnações; embebam o vosso coração em tudo, sejam unos com toda Criação.

Não sabemos o quão privilegiados somos por ter nascido na forma de um ser humano. Nisso, somos mais abençoados do que qualquer outro ser vivo. O animal não é capaz de meditar e comungar com Deus, mas o ser humano tem a liberdade de procurar o Senhor e não a utiliza.

A alma está presa ao corpo por uma corrente de desejos, tentações, problemas e preocupações, mas está sempre a tentar libertar-se. Se continuarmos a puxar essa corrente que nos prende à consciência mortal, qualquer dia a invisível Mão Divina intervirá, partirá os grilhões e seremos livres.

Poder fazer tudo o que se quer não é o verdadeiro sentido da liberdade de acção. Devemos examinar até que ponto somos livres e até que ponto estamos a ser influenciados pelos desejos e maus hábitos. Ser bom porque isto se tornou um hábito, também não é liberdade. Sentir uma tentação não é pecado, mas ser capaz de resistir e vencer a tentação é força. Isto é liberdade, porque estamos a agir por livre vontade e livre escolha.
Quando através do discernimento e acção correta o homem queima todas as sementes das más tendências acumuladas na mente, cada célula microscópica do cérebro torna-se um trono para um brilhante rei de sabedoria, inspiração e saúde, que canta e proclama a glória de Deus para as células inteligentes do corpo. Os homens que alcançam este estado são realmente livres. Estes seres libertos não serão tocados pelo karma nas futuras encarnações. Quando reencarnam, fazem-no exclusivamente para limpar as lágrimas daqueles que ainda estão presos ao karma. Estes mestres libertos estão aureolados por uma invisível luz curativa. Eles espalham, por onde passam, a luz da prosperidade e da saúde.

Swami Sri Yukteswar disse a Paramahansa Yogananda: “libertação dos desejos não consiste em praticar acções de acordo com os ditames de hábitos pré-natais ou pós-natais, nem de acordo com os caprichos da mente. Ter uma vontade livre é agir de acordo com as sugestões da sabedoria e da livre-escolha. Se sintonizar a sua vontade com a minha (a vontade guiada pela sabedoria do guru), você achará a liberdade.”

Decida que não se deixará afectar pelos problemas, que não será tão sensível, que não será vítima de hábitos e humores. Decida que é livre como um pássaro.

Não poderemos ser livres enquanto não queimarmos as sementes das más acções passadas no fogo da sabedoria e no fogo da meditação.

Fonte: Paramahansa Yogananda

segunda-feira, 26 de junho de 2017

O que é Hatha Yoga?


“Quem usa yoga apenas como ginástica – o que é muito agradável e eficaz – está comendo a casca da banana e jogando o miolo fora.” Professor Hermógenes.


Muitas vezes perguntam-me se o hatha yoga é uma ginástica e se emagrece. Vou neste artigo tentar esclarecer essa dúvida.

Começo por dizer que o Hatha Yoga é, também, um excelente exercício físico. E sim: quem está acima do peso pode emagrecer se colocar em prática as técnicas e recomendações sugeridas por esse sistema que foi o grande responsável pela popularização do yoga no Ocidente.

Hatha yoga poder ser traduzido como o yoga da força extrema, ou o yoga do sol e da lua, fazendo alusão aos objectivos de equilibrar a polaridade da energia vital e de transcender a identificação com a dualidade.

É uma das frentes de actuação que compõe o que chamamos de yoga como um modo de vida e faz parte do vasto corpo de conhecimentos védicos. Refere-se, sobretudo, às práticas físicas: acções purificadoras, posturas e técnicas respiratórias; em sânscrito: kriyas, asanas e pranayamas, respectivamente.

Actualmente, existem diversos estilos de hatha yoga: Iyengar, Ashtanga Vinyasa, Vinyasa, Vinyoga, Kundalini Yoga etc. Uma infinidade de nomes, mas não se perca neles, todos esses estilos derivam e não deixam de ser hatha yoga. Esses nomes variam de acordo com a maneira de executar as técnicas.
Por exemplo, enquanto no Iyengar yoga se foca mais o alinhamento corporal e a permanência nas posturas, no Ashtanga Vinyasa o foco está na fluidez entre elas dentro de séries fixas. No entanto, esses métodos giram em torno do mesmo propósito: proporcionar o bom funcionamento do corpo-mente, servindo de "escada" para um estado mais claro de compreensão sobre si mesmo.

Tal como referi no início, o hatha yoga não é apenas um exercício físico tal como o concebemos. Além de ter por base um corpo de conhecimento, as técnicas em si possuem uma natureza de actuação peculiar: Através das camadas mais externas e densas do Ser, trabalhamos as mais internas e subtis.
Ou seja, quando usamos os músculos para fazer uma postura, o objectivo principal não é fortalecer ou alongar a musculatura necessária para a sua execução.
No geral as posições do hatha yoga têm outras prioridades, tais como:

aumentar o aporte sanguíneo em determinadas regiões, sobretudo no cérebro;

massajar os órgãos; 

estimular o funcionamento do sistema digestivo e das glândulas endócrinas; 

tonificar o sistema nervoso; 

captar e distribuir o prana de forma equilibrada 

e aquietar a mente.

Naturalmente, por conta de todos esses estímulos, se estivermos acima do peso adequado, vamos emagrecer. Não apenas pela lógica das calorias queimadas, mas por um conjunto de factores que vão do bom funcionamento do sistema digestivo e das glândulas até à conquista de uma mente mais presente e disciplinada, capaz de fazer escolhas, o que resulta, também, numa capacidade maior de manter uma dieta moderada.

É claro que as camadas mais externas do corpo, como os músculos e as articulações, também são beneficiadas com a prática das posturas, porém, mais do que promover a saúde e o bem-estar, esses resultados contribuem para que tenhamos uma base firme e confortável - sthira sukham, para a realização de práticas mais subtis como pranayama e meditação.

Nesta jornada, caminhamos para uma percepção mais profunda sobre o Mundo e sobre nós mesmos, de modo a nos libertarmos de esteriótipos e nos desvencilharmos das possíveis sensações de inadequação e limitação que se apresentam uma após a outra.

Se o seu objectivo actual é emagrecer, ótimo. Mas e depois? A sensação de inadequação provavelmente recairá sobre outro aspecto da sua Vida. O yoga, que a princípio pode ser atractivo para quem deseja solucionar um problema momentâneo, também pode proporcionar uma solução mais consistente e definitiva na vida de cada um. Para isso, basta que se dedique com sinceridade à sua Busca.

Adaptado: https://yogaemcasa.net